Cantos da FlorestaIniciação ao Universo Musical Indígena

Escutando Darö Wihã

A música Daro Wihã faz parte do ritual Wapté Mnhõnõ, descrito no capítulo Mundo Indígena do livro Cantos da Floresta. A escuta atenta dessa música suscitará reflexões interessantes entre seus alunos.

  • Ouvir com atenção a música Darö Wihã e identificar os diversos elementos musicais presentes, como: os instrumentos utilizados (maracás), os timbres vocais, a pisada, a circularidade da canção, as diferentes intensidades que criam uma dinâmica de crescendo e decrescendo.
  • É interessante observar, também, que as vozes masculinas começam a cantar em uníssono, mas logo se dividem em duas vozes em movimento de quartas paralelas. Notar também que a melodia é marcada por movimentos vocais ‘escorregadios, isto é, portamentos de semitom que caracterizam de forma bastante particular a sonoridade vocal dos Xavante.
  • Outro elemento vocal importante de indentificar é o timbre gutural aspirado, com forte vitalidade e que apresenta diferentes intensidades criando dinâmicas rápidas de crescendo e decrescendo. Esses cantos são acompanhados pela marcação regular dos maracás reforçada pelas pisadas graves.

Sobre a música Daro Wihã

Darö Wihã faz parte do ritual de iniciação Wapté Mnhõnõ, que tem como principal objetivo marcar a passagem dos meninos – wapté – para a vida adulta. Durante todo o processo de preparação para o ritual, os meninos aprendem com os padrinhos diversos ensinamentos – como caçar, lutar, atirar flechas – para então ter sua orelha furada e passar para a vida adulta. O canto Darö Wihã é realizado no início da cerimônia quando os meninos, entre 7 e 10 anos, saem das casas de suas familiares e vão morar na Hö, local onde receberão os ensinamentos dos padrinhos. Mais informações sobre o ritual Wapté Mnhõnõ encontram-se no capítulo Mundo Indígena do livro Cantos da Floresta e no verbete Xavante do ISA.

 

 

Conexão de saberes

  • Seria muito interessante apresentar, aos seus alunos, o ritual da furação das orelhas dos Xavante, assistindo ao vídeo Wapté Mnhõnõ, iniciação do jovem xavante, que mostra não apenas o momento da furação de orelhas, mas todas as etapas do ritual, comentadas pelos próprios jovens Xavante.
  • Realizar um levantamento das impressões iniciais dos alunos sobre o vídeo e conversar sobre isso, tecendo paralelos com a existência ou não de rituais de passagem na sociedade indígena.

 

PARA VER


 

PARA OUVIR


 CD Etenhiritipá – Cantos da Tradição Xavante. O CD apresenta cantos dos homens xavante transmitidos pelos antepassados através dos sonhos. Etenhiritipá significa o povo A´uwe da Serra do Roncador, netos e bisnetos de Ahöpowe (Apoena) que têm conseguido manter seu modo de vida tradicional. (Núcleo de Cultura Indígena, 1994). Áudios disponíveis em < www.funai.gov.br/index.php/indios-no-brasil/sonsindigenas/1165-etenhiritipa-cantosda-tradicao-xavante >.

Gostou da proposta didática?

Compartilhe conosco sua experiência em sala de aula…